Educação Financeira

Planejamento Financeiro para Transição de Carreira

2 minuto/s de leitura

Muitas pessoas passam anos das suas vidas em empregos que não gostam pela segurança oferecida por um trabalho formal. Em alguns casos sonham em levar outra profissão, mas acabam inseguros por fazer uma transição de carreira. Passar por esse processo exige planejamento estratégico no seu fluxo de caixa.

Um fator importante que pode trazer mais confiança para passar por um processo de mudança é ter um planejamento financeiro, o que acaba por dar mais coragem para tomar a atitude de sair do emprego. A reserva de emergência pode ser usada nesse momento, mas como o próprio nome já deixa subentendido, ela é direcionada para imprevistos e se você está se preparando para sair da empresa onde trabalha, essa decisão é tomada aos poucos e deixa de ser um imprevisto.

É comum que se considere o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e as parcelas do seguro desemprego como reserva para este período, mas devemos lembrar que no caso de não obter um acordo com a instituição, o funcionário que se demite fica com o saldo do FGTS retido, e ainda não possui direito ao seguro. Por isso, apesar desses valores serem expressivos, o planejamento deve ir além. Esperar por um acordo pode adiar por anos os seus planos, tornando-os mais abstratos e, no pior cenário, te fazer desistir.

Saiba quais passos pretende dar

Após sair do seu emprego, o ideal é saber exatamente quais passos serão necessários para alcançar seu objetivo principal. Saber esses detalhes será decisivo na hora de determinar o valor da sua reserva. Você precisará fazer algum curso? Precisa se credenciar a algum órgão da área que quer atuar? Precisará comprar algum equipamento para te auxiliar?

As respostas para essas e outras perguntas são fundamentais para saber o quanto terá que gastar e devem ser o mais detalhadas possíveis. Se você vai precisar fazer um curso nesse caminho, por exemplo, já escolha o curso, a instituição de ensino e faça o orçamento. Não deixe para escolher isso quando já estiver fora. O valor que você previa pode não ser o suficiente e isso pode te tirar do jogo antes da hora.

Seja transparente

Ter transparência só te trará benefícios nesse período. Converse com as pessoas mais próximas do seu ciclo de relacionamentos, converse com seus pais, filhos, amigos, todos aqueles que serão importantes nessa trajetória. O apoio dessas pessoas será um diferencial positivo, mas não dependa de receber apoio deles para seguir o que planejou. Caso não haja, siga em frente. Seja transparente também com seu atual empregador. Isso pode demonstrar o quanto você é confiável, aumentando suas chances de conseguir um acordo.

Faça um planejamento financeiro com folga

Saiba qual o custo de vida mínimo que você conseguirá levar durante essa fase e então faça uma reserva de pelo menos seis meses. Sabendo o fluxo de saída dos próximos meses, essa será uma tarefa simples. Caso você seja uma pessoa mais conservadora poderá considerar um prazo maior que esse, e quanto mais dinheiro conseguir reservar, melhor. Essa reserva te dará mais tranquilidade emocional para enfrentar possíveis instabilidades.

Para manter um orçamento com folga, evite fazer contas, mesmo que sejam de curto prazo. Comprometa o mínimo possível das suas finanças com parcelas. E se houver dívidas, talvez seja melhor adiar um pouco seu plano de abandonar seu emprego formal até quitá-las.  Iniciar seu sonho no vermelho pode ser muito arriscado. Mas não é motivo para desistir. Planejar com tranquilidade, sua realização, tornará o caminho mais fácil.

25 conteúdos

       
Sobre o autor
Bacharel em Engenharia Elétrica e especialista em Engenharia de Produção (PUC-MG), me interessei pelo mercado financeiro em 2016 e desde então não paro de me aprofundar. Atualmente tenho Certificação de Especialista em Investimentos pela Associação Brasileira de Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (ANBIMA). Atuo com Mentora e Consultora Financeira com foco em pessoas físicas. Incentivo a busca e o desenvolvimento Educação Financeira como estratégia para a independência, liberdade de escolha e qualidade de vida.
       Conteúdos

Quer saber mais sobre investimentos?



Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade




Conteúdos relacionados
Educação Financeira

Conheça a história de Naji Nahas, o homem que quebrou a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro

5 minuto/s de leitura
A história da Bolsa de Valores no mundo não é pouco menos que farta, desde episódios que descrevem uma bolha econômica envolvendo…
Educação Financeira

Conheça a história, a função e a importância da CVM

7 minuto/s de leitura
Se você está começando a acompanhar o mercado financeiro ou está estudando a melhor oportunidade para começar a aplicar suas economias, provavelmente…
CuriosidadesDestaqueEducação Financeira

Maio e as quedas das bolsas de valores: mito ou fato?

2 minuto/s de leitura
Existe um ditado muito conhecido pelos investidores de bolsa: “sell in may and go away” (venda em maio e vá embora). Se…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies