Notícias

IBGE: inflação desacelera e fica em 0,87% em agosto

2 minuto/s de leitura

De acordo com dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), conhecido como a inflação oficial brasileira, fechou agosto registrando 0,87%. 

É uma desaceleração comparado com o mês imediatamente anterior, quando a inflação fechou em 0,96%. É, porém, a maior variação para um mês de agosto desde 2000, quando o índice foi de 1,31%. 

Na somatória de 2021, a inflação registra alta de 5,67%, já ficando acima do teto da meta estipulado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 5,25%. 

Nos últimos 12 meses, a inflação ficou em 9,68%, acima dos 8,99% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. 

Dos nove grupos estudados pelo IBGE, oito apresentaram alta no mês de agosto. A maior variação (1,46%) e o maior impacto (0,31 p.p.) vieram do grupo Transportes. Depois, veio do grupo de Alimentação e bebidas (0,29 p.p., 1,39%). 

Na sequência, veio Habitação (0,68% e 0,11 p.p.), cujo resultado ficou abaixo do registrado em julho (3,10%). 


Saiba mais

25% dos motoristas de aplicativos desistiram de trabalhar por conta da alta nos combustíveis, diz associação


Quanto ao grupo de transportes, a maior influência veio dos combustíveis (2,96%), que acelerou frente ao mês anterior (1,24%). Nos combustíveis, a gasolina subiu 2,80% e foi o item com maior impacto individual no índice do mês (0,17 p.p.). 

A alta nos combustíveis é um fator de extrema preocupação para o brasileiro, com algumas capitais registrando uma gasolina acima de R$ 7,00. A alta nos preços é influenciada principalmente pelos reajustes promovidos pela Petrobras, que segue o modelo internacional de variação de preços. 

“Os veículos próprios, que haviam subido 0,96% em julho, registraram alta de 1,16% em agosto. Os automóveis usados (1,98%), os automóveis novos (1,79%) e as motocicletas (1,01%) permaneceram em alta e contribuíram conjuntamente com 0,10 p.p. no IPCA de agosto”, disse o IBGE. 

Quanto ao grupo de alimentação e bebida (1,39%), houve uma aceleração comparado com os dados do mês imediatamente anterior (0,60%). 

“A alimentação no domicílio passou de 0,78% em julho para 1,63% em agosto, principalmente por conta das altas da batata-inglesa (19,91%), do café moído (7,51%), do frango em pedaços (4,47%), das frutas (3,90%) e das carnes (0,63%). No lado das quedas, destacam-se a cebola (-3,71%) e o arroz (-2,09%)”, diz o IBGE. 

O resultado do grupo Habitação (0,68%) foi influenciado pela alta da energia elétrica (1,10%), que desacelerou em relação ao mês anterior (7,88%). O mês passado foi marcado pelo início do vigor da taxa extra cobrada pela bandeira vermelha nível dois. 

INPC 

Segundo a pesquisa do IBGE, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,88% em agosto, 0,14 p.p. abaixo do resultado de julho (1,02%). 

“No ano, o indicador acumula alta de 5,94% e, em 12 meses, de 10,42%, acima dos 9,85% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2020, a taxa foi de 0,36%”, disse o IBGE. 

Foto: Agência Brasil / Reprodução

696 conteúdos

       
Sobre o autor
Jornalista Smart Money Leia, estude, se informe! Apenas novas atitudes geram novos resultados!
       Conteúdos
Conteúdos relacionados
Notícias

Boletim Focus: inflação tem alta pela 25ª semana consecutiva e atinge 8,45%

1 minuto/s de leitura
De acordo com dados do Boletim Focus, relatório mensal do Banco Central (BC) contando com a colaboração de mais de 100 instituições…
Notícias

MTST e movimentos sociais ocupam o prédio da B3 em São Paulo

2 minuto/s de leitura
A sede da Bolsa de Valores brasileira, a B3, foi ocupada nesta quinta-feira (23) por manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST)…
Notícias

IBGE: IPCA-15 acelera e sobe 1,14% em setembro

2 minuto/s de leitura
Segundo dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) pala manhã, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), considerado…
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies