Destaques do dia

Bolsonaro publica carta pacificadora, vice da Câmara quer retirar os precatórios do Teto; e mais

4 minuto/s de leitura

Em uma tentativa de acalmar os ânimos e barrar os diálogos de um possível impeachment, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma carta de “trégua” na noite desta quinta-feira (09), após dias marcados pelas repercussões negativas das manifestações do 7 de setembro. 

Na Câmara, o vice-presidente da Casa deve apresentar uma proposta que retira o pagamento de precatórios da regra do Teto de Gastos, medida amplamente criticada pelo setor econômico. 

Na agenda, o destaque para o Brasil fica para a publicação de dados do varejo pelo IBGE. 

As bolsas iniciam o último dia da semana em tom positivo, de olho nas decisões de Biden quanto à população não vacinada dos Estados Unidos. 

Esses e outros destaques você confere agora. 

BOLSONARO PUBLICA CARTA PACIFICADORA 

Em uma tentativa de acalmar os ânimos após os discursos durante os protestos do 7 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma carta titulada ‘Declaração à Nação’ na noite desta quinta-feira (09). 

Segundo interlocutores, a carta aberta publicada foi redigida pelo ex-presidente Michel Temer, e acontece após as conversas sobre uma possível abertura de processo de impeachment ficarem mais quentes no Congresso Nacional. 

“Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar”, diz a carta. 

Segundo o presidente, as palavras que marcaram o discurso durante as manifestações partiram do “calor do momento”. 

“Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição”, diz a carta. 

Por fim, Bolsonaro diz que sempre prezou pelo diálogo entre os Poderes pela “manutenção da harmonia e independência entre eles”. 

Por um lado, a carta do presidente não agrada a base eleitoral que acreditava em atitudes mais contundentes com os discursos. Por outro, a carta agrada o setor político e do mercado financeiro, que enxerga a tentativa de estabilidade como positiva. 

Com a trégua nas tensões, o Ibovespa fechou a quinta-feira (09) registrando alta de 1,73%, após dias marcados por repercussões negativas por conta das manifestações e greve dos caminhoneiros. 

VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA QUER RETIRAR OS PRECATÓRIOS DO TETO DE GASTOS 

Marcelo Ramos (PL-AM), vice-presidente da Câmara dos Deputados, deve apresentar uma proposta ao Congresso que retira o pagamento de precatórios da regra do Teto de Gastos. 

“Tivemos o cuidado de estabelecer essa regra a partir de 2022, abatendo o valor de 2016. Se eu tirasse simplesmente do teto o precatório, teríamos o espaço de R$ 89 bilhões, mas a PEC tira o espaço do teto menos o valor do precatório de 2016”, disse Ramos. 

Os precatórios são um ponto latente para o governo. Os pagamentos de dívidas na justiça devem somar quase R$ 90 bilhões em 2022, 50% a mais que o valor a ser pago em 2021. 

Por isso, o governo articula inúmeras medidas de “desafogamento” das contas públicas para tentar viabilizar a reformulação do Bolsa Família, que deve passar a se chamar de Auxílio Brasil, enquanto mantém as contas do país nos eixos. 

O governo estuda uma medida mais judicial em conjunto com o Tribunal de Contas da União (TCU) para evitar a proposta de parcelamento das dívidas e evitar uma eventual perda de credibilidade do país. 

A proposta de Marcelo Ramos, porém, é amplamente criticada pelo mercado financeiro, justamente pelo risco do Brasil perder a confiança do mercado internacional. 


Saiba mais

Guedes: vacinação pode ser prejudicada pelos precatórios


AGENDA 

No Brasil, o destaque do dia fica para a publicação das vendas do setor de varejo do mês de julho. Os dados são publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) às 9h. 

Pela madrugada, foram publicados dados do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido referente ao mês de agosto. O PIB do país subiu 0,1% no mês, e 7,5% na variação anual. 

Ainda no Reino Unido, a produção industrial subiu 1,2% em julho na comparação com o mês passado, quando registrou queda de 0,7%. 

Por fim, no Reino Unido, a balança comercial do mês de julho registrou um déficit de -12,71B. No mês imediatamente anterior, a balança havia ficado em -11,99B. 

Na Alemanha, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação nula no mês de agosto. No mês anterior, a inflação havia subido 0,9%. Na variação anual, a alta de preços do país ficou em 3,9%. 

Na China, a Medida Ampla de Oferta Monetária (M2) anual registrou 8,2% na base anual. 

Às 9h nos Estados Unidos, o Índice de Preços ao Produtor (IPP) referente ao mês de agosto é publicado. 

Às 13h, ainda nos EUA, é publicado o Relatório de Estimativas de Oferta e Demanda Agrícola Mundial (WASDE) do United States Department of Agriculture. 

BOLSAS E CÂMBIO 

As bolsas europeias iniciam o último dia da semana registrando altas nos principais índices do continente. 

Entre os fatores que marcaram a semana, estão a possível mudança de política de compra de ativos nos Estados Unidos e os impactos gerados pela variante Delta do novo Coronavírus nos países desenvolvidos. 

Nos EUA, o mercado está de olho no decreto de Joe Biden que deve obrigar companhias que possuem mais de 100 empregados a exigirem a vacinação contra COVID-19. A drástica medida deve tentar melhorar a adesão à vacinação no país, que é baixa. 

Às 8h da manhã: 

  • STOXX 600 (STOXX): +0,30%, indo a 468,96 pontos 
  • DAX (GDAXI): +0,41%, indo a 15.687,95 pontos 
  • FTSE 100 (FTSE): +0,30%, indo a 7.045,42 pontos 
  • CAC 40 (FCHI): +0,34%, indo a 6.707,34 pontos 
  • FTSE MIB (FTMIB): +0,07%, indo a 25.929,00 pontos 

Acompanhando o mercado europeu, os índices asiáticos registram resultados positivos nesta sexta-feira (10). 

Por lá, os economistas seguem de olho nas pressões regulatórias chinesas sobre as companhias do setor de tecnologia. 

  • Hang Seng (HK50): +1,91%, indo a 26.205,91 pontos 
  • KOSPI (KS11): +0,36%, indo a 3.125,76 pontos 
  • Shanghai Composto (SSEC): +0,27%, indo a 3.703,11 pontos 
  • Nikkei 225 (N225): +1,25%, indo a 30.381,84 pontos 
  • Shanghai Shenzhen CSI 300 (CSI300): +0,88%, indo a 5.013,52 pontos  

Às 8h da manhã, os índices futuros dos EUA apresentam resultados positivos: 

  • Nasdaq 100 Futuros: +0,41%, indo a 15.624,40 pontos 
  • Dow Jones Futuros: +0,49%, indo a 35.050,10 pontos 
  • S&P 500 Futuros: +0,44%, indo a 4.512,90 pontos 

Acompanhe as cotações do Dólar e o Euro na manhã desta sexta-feira (10): 

  • Às 9h03, o Dólar caiu -2,00%, a R$ 5,19 
  • Às 9h03, o Euro caiu -1,95%, a R$ 6,15 

Foto: Agência Brasil / Divulgação

696 conteúdos

       
Sobre o autor
Jornalista Smart Money Leia, estude, se informe! Apenas novas atitudes geram novos resultados!
       Conteúdos
Conteúdos relacionados
Destaques do dia

Votação da reforma do IR deve ficar para 2022, BC realiza leilão de swap nesta segunda; e mais

4 minuto/s de leitura
Segundo o relator da reforma do Imposto de Renda (IR), a votação da proposta deve ficar para o ano que bem. Para…
Destaques do dia

Reforma administrativa é aprovada em comissão, governo federal não tem “plano B” e pressiona pela reforma do IR; e mais

4 minuto/s de leitura
Após horas de debates, o texto da reforma administrativa é aprovado em comissão especial, com diversos pontos polêmicos que são fonte de…
Destaques do dia

“Acordão” de Guedes prevê a aprovação da PEC dos Precatórios e reforma no IR ao mesmo tempo, BC diz que manterá ritmo de reajuste na Selic; e mais

5 minuto/s de leitura
Em um acordo firmado com os presidentes das Casas do Congresso, Paulo Guedes quer garantir que a PEC dos Precatórios e a…
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies