Notícias

MTST e movimentos sociais ocupam o prédio da B3 em São Paulo

2 minuto/s de leitura

A sede da Bolsa de Valores brasileira, a B3, foi ocupada nesta quinta-feira (23) por manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e do movimento Povo Sem Medo. 

Segundo membros do movimento, a ocupação acontece de forma simbólica em protesto contra o problema da fome no Brasil. 

“É inadmissível que quase 100 milhões de brasileiros estejam em situação de fome e insegurança alimentar enquanto os bilionários movimentam R$ 35 bilhões por dia só aqui na bolsa”, disse Debora Pereira, da liderança do MTST. 

A intenção da ocupação na B3, segundo manifestantes, era chamar atenção para o crescente número de milionários no país em um momento de crise, enquanto a classe mais baixa sofre mais as consequências de uma economia de inflação elevada. 

Alguns manifestantes chegaram a levar ossos de boi para o prédio da B3 para simbolizar que, em algumas regiões do Brasil, comerciantes começaram a vender restos bovinos para a população mais pobre. 

Segundo uma nota divulgada pela B3, a manifestação foi “pacífica”. 

“A manifestação nesta tarde ocorreu de forma pacífica e já foi encerrada, não tendo havido impacto para as operações de mercado”, diz a nota. 


Saiba mais

B3: Mercado deve se beneficiar com mudança na metodologia de vencimento de opções, que começa a valer a partir de maio


Em resposta às manifestações e ao coordenador do MTST, Guilherme Boulos, o presidente Jair Bolsonaro o chamou de “paspalhão”. 

“Tive a notícia agora há pouco de Guilherme Boulos e sua turminha gente fina invadindo a Bolsa de Valores de São Paulo. Eu já ouvi muita gente do mercado contra mim, favorável à esquerda. Tiveram um pequeno exemplo agora da esquerda”, disse o presidente. “Querem me culpar da fome no Brasil e do desemprego. Você está de sacanagem. É um paspalhão, realmente, procurando fazer demagogia. Nunca vi esse cara ao lado da lei, da ordem, respeitando a propriedade privada e o emprego”, complementou. 

A ocupação também gera críticas do vereador do estado de São Paulo, Fernando Holiday (NOVO), que classificou o movimento como “gente que nada produz”. 

“Gente que nada produz, não gera emprego, vive da teta do Estado e faz arruaça contra quem contribui para a vida dos brasileiros. Boulos diz ser moderado, mas manda os pelegos do MTST invadir o centro financeiro do país”, disse ele. 

Foto: G1 / Reprodução

774 conteúdos

       
Sobre o autor
Jornalista Smart Money Leia, estude, se informe! Apenas novas atitudes geram novos resultados!
       Conteúdos
Conteúdos relacionados
Notícias

Focus: inflação se aproxima de 9% e PIB cai

1 minuto/s de leitura
Segundo o Boletim Focus, relatório semanal divulgado pelo Banco Central (BC) contando com a contribuição de mais de 100 instituições financeiras, o…
Notícias

Petrobras anuncia mais um reajuste nos combustíveis e gasolina sobe 7,04%

2 minuto/s de leitura
A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (25) mais um reajuste nos preços dos combustíveis nas refinarias, a segunda no mês de outubro. A…
Notícias

FGV: confiança do consumidor sobe 1 ponto após dois meses de queda

1 minuto/s de leitura
Segundo dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na manhã desta segunda-feira (25), o índice de confiança do consumidor (ICC) subiu 1 ponto em…
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies