Destaques do dia

Negociações dos precatórios são retomadas nesta semana, “barulhos políticos atrapalham economia”, diz Guedes; e mais

4 minuto/s de leitura

Ainda marcado por impasses, as negociações quanto ao pagamento de precatórios devem ser retomadas nesta semana, com expectativa de diálogo da equipe econômica com o CNJ. 

Para o ministro Guedes, os ruídos políticos atrapalham o desenvolvimento da economia, que deve crescer menos em 2021. 

Na agenda do dia, o destaque para o Brasil fica para o Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central (BC). 

Quanto às bolsas, o mercado experimenta um tom mais positivo. 

Esses e outros destaques você confere agora.

NEGOCIAÇÕES DOS PRECATÓRIOS SÃO RETOMADAS NESTA SEMANA 

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante um evento promovido pelo Credit Suisse, as negociações quanto aos precatórios são retomadas nesta semana. 

As conversas devem envolver tanto a parte do Planalto quanto o Congresso Federal e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que é presidido pelo ministro Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). 

A equipe econômica deve avaliar a proposta feita pelo ministro Fux de encontrar meios mais judiciais para o pagamento de precatórios de 2022, que somam quase R$ 90 bilhões, 65% acima do valor pago em 2021. 

Inicialmente, o governo avaliava mandar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que parcelava os “superprecatórios” — pagamentos de dívidas acima de R$ 66 milhões — em nove anos. A medida criaria um espaço no orçamento que viabilizaria a reformulação do Bolsa Família, que deve passar a se chamar de Auxílio Brasil. 

Adicionalmente, membros governistas no Congresso Nacional ainda defendiam retirar os precatórios da regra do Teto de Gastos, o que abriria ainda mais espaço no orçamento. A medida, porém, enfrenta resistência, pois coloca o país em uma situação de possível perda de credibilidade ante aos investidores internacionais. 

Caso o governo siga com a ideia do CNJ, será estabelecido um limite anual de pagamentos de precatórios, corrigidos pela inflação. Assim, R$ 40 bilhões serão pagos em 2022, menos da metade do valor total. 

A resolução quanto ao pagamento de precatórios é prioridade do Planalto, que quer ver seu novo programa social na ativa durante o ano de eleições presidenciais. 

GUEDES: “BARULHOS POLÍTICOS” AFETAM A ECONOMIA 

Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, os “barulhos políticos” atrapalham o desempenho da economia brasileira, que deve ver um crescimento mais magro que o previsto, e uma inflação que passa, segundo ele, pelo “pior momento”. 

“Nunca aposte contra a democracia brasileira. Nós estamos avançando o tempo todo. É muito barulho, mas estamos avançando. Somos os único país promovendo reformas estruturais em meio à pandemia”, disse o ministro à investidores internacionais na sexta-feira (10). 

Para ele, embora Jair Bolsonaro tenha passado dos limites nas palavras, isso não foi refletido nas ações do presidente. Para ele, a economia brasileira está pronta para crescer novamente. 

“Nós estamos na direção certa. Interrompemos a rota errada. Estamos de volta aos negócios e nosso governo está seguro de que vamos seguir na direção correta, disse ele. 

Em um evento promovido pela Credit Suisse, o ministro já havia mencionado que o país passa pelo “pior” da inflação, mas que a situação deve melhorar conforme o ano passa. 

“Eu imagino que o pior da inflação nós estamos atravessando agora. Daqui para frente a taxa deve começar a cair lentamente. Está agora em 8,8%, 8,9%, quase batendo os 9%. A gente espera que esse ano feche lá em torno dos 7%, já descendo”, disse ele. 

Atualmente, a inflação brasileira acumula alta de 9,68% nos últimos 12 meses. 


Saiba mais

Guedes: vacinação pode ser prejudicada pelos precatórios


AGENDA 

No Brasil, o destaque do dia fica para a publicação do Boletim Focus às 8h25, relatório semanal divulgado pelo Banco Central (BC) contando com a contribuição de mais de 100 instituições financeiras. 

Durante a madrugada, foi publicado o índice de preços por atacado da Alemanha, com registro de alta de 0,5% em agosto, uma desaceleração comparada com o mês imediatamente anterior (1,1%). 

Às 6h, teve pronunciamento de Isabel Schnabel, membro do Banco Central Europeu (BCE). 

Às 8h nos Estados Unidos, o relatório mensal da OPEP foi publicado. 

Às 10h30, discursa Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE). 

Às 15h nos Estados Unidos, o balanço orçamentário federal referente ao mês de agosto é publicado. 

BOLSAS E CÂMBIO 

Pela manhã, os índices europeus registram resultados positivos, com investidores de olho na inflação dos Estados Unidos, que deve ser divulgada ainda nesta semana. 

Uma inflação mais alta que o esperado pode significar que as taxas de juros do país vão subir mais cedo que o projetado pelo Fed. Além disso, pode refletir os recentes efeitos provocados pela alta nos casos da variante Delta do novo Coronavírus. 

Às 8h da manhã: 

  • STOXX 600 (STOXX): +0,74%, indo a 469,77 pontos 
  • DAX (GDAXI): +1,05%, indo a 15.774,30 pontos 
  • FTSE 100 (FTSE): +0,82%, indo a 7.086,99 pontos 
  • CAC 40 (FCHI): +0,80%, indo a 6.717,38 pontos 
  • FTSE MIB (FTMIB): +1,22%, indo a 26.001,00 pontos 

Em uma dirença diferente, os mercados asiáticos fecharam a segunda-feira (13) de forma mista, com o mercado atento nas novas pressões regulatórias da China quanto ao setor de tecnologia. 

Nesta semana, Beijing determinou que o Alipay, aplicativo do Ant Group, de Jack Ma, colocasse seu serviço de empréstimo em outra repartição. 

A intenção do governo chinês é de acabar com o monopólio de uso de dados pessoais no país. No mês passado, o governo do país também havia pressionado a Tencent a respeito do uso de dados em seus aplicativos. 

  • Hang Seng (HK50): -1,50%, indo a 25.813,81 pontos 
  • KOSPI (KS11): +0,07%, indo a 3.127,86 pontos 
  • Shanghai Composto (SSEC): +0,33%, indo a 3.715,37 pontos 
  • Nikkei 225 (N225): +0,22%, indo a 30.447,37 pontos 
  • Shanghai Shenzhen CSI 300 (CSI300): 0,44%, indo a 4.991,66 pontos  

Às 8h da manhã, os índices futuros dos EUA apresentam resultados positivos: 

  • Nasdaq 100 Futuros: +0,53%, indo a 15.522,80 pontos 
  • Dow Jones Futuros: +0,63%, indo a 34.824,70 pontos 
  • S&P 500 Futuros: +0,60%, indo a 4.485,30 pontos 

Acompanhe as cotações do Dólar e o Euro na manhã desta segunda-feira (13): 

  • Às 9h03, o Dólar caiu -0,58%, a R$ 5,23 
  • Às 9h03, o Euro caiu -0,93%, a R$ 6,16 

Foto: Supremo Tribunal Federal (STF) / Reprodução

696 conteúdos

       
Sobre o autor
Jornalista Smart Money Leia, estude, se informe! Apenas novas atitudes geram novos resultados!
       Conteúdos
Conteúdos relacionados
Destaques do dia

Votação da reforma do IR deve ficar para 2022, BC realiza leilão de swap nesta segunda; e mais

4 minuto/s de leitura
Segundo o relator da reforma do Imposto de Renda (IR), a votação da proposta deve ficar para o ano que bem. Para…
Destaques do dia

Reforma administrativa é aprovada em comissão, governo federal não tem “plano B” e pressiona pela reforma do IR; e mais

4 minuto/s de leitura
Após horas de debates, o texto da reforma administrativa é aprovado em comissão especial, com diversos pontos polêmicos que são fonte de…
Destaques do dia

“Acordão” de Guedes prevê a aprovação da PEC dos Precatórios e reforma no IR ao mesmo tempo, BC diz que manterá ritmo de reajuste na Selic; e mais

5 minuto/s de leitura
Em um acordo firmado com os presidentes das Casas do Congresso, Paulo Guedes quer garantir que a PEC dos Precatórios e a…
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies