Notícias

Preço do arroz recua; entra em cena a batata, com alta de 23% em um mês

2 minuto/s de leitura

O mês de novembro já chega praticamente na metade e uma boa notícia se espalha no mercado econômico. Se por um lado o índice inflacionário dos alimentos não caiu, pelo menos permanece estacionário. E sim, para o consumidor, que sente de imediato as oscilações da inflação, a notícia pode ser considerada positiva, ainda mais porque quanto mais estáveis, menor é a pressão inflacionária. 

Segundo dados da Fipe, a inflação média dos alimentos nos últimos 30 dias, até a primeira semana deste mês, retrocedeu para 2,3% em São Paulo, um pouco abaixo dos 2,5% do final de outubro. Esse recuo aplica-se às variações menores de proteínas e dos óleos vegetais, ressaltando-se que as carnes de frango e suína tiveram alta superior  a 7%.Porém o óleo de soja apontou uma variação acumulada de 16% em um mês. Salienta-se que estes índices são menores que os antecedentes.

Considerado o grande vilão deste período, o arroz entra em recuo. Hoje, ele registra uma elevação de 9%. Há uma semana, a alta acumulada era de 10,5% em 30 dias. No entanto, a batata começa a ter aumentos substanciais de preços, registrando um aumento de 23% em um mês. Mas segundo os economistas, o preço vai ser ainda mais pressionado, com registros que apontaram elevação entre 66% e 77% nos últimos 10 dias em companhias abastecedoras. Índices pesquisados pelo mercado mostram uma grande evolução na saca de 50 quilos, passando de R$ 69,00 no dia 10 de setembro, para R$ 126,00 em outubro e R$193 agora em novembro. 

O setor aponta o clima – que antecipou a colheita – e que fez os preços acelerarem agora em novembro. Observa-se que uma manutenção da alta dos preços está sendo esperada pelos especialistas nos próximos meses, adentrando inclusive no ano de 2021. A seca atual deverá ter influência na produção de hortifrútis.

O tomate é outro produto do setor de hortifrutigranjeiros que apresentou alta nos preços, registrando um aumento de 18%. Isso fez com que outros produtos in natura seguissem o mesmo caminho de alta, subindo em média 7%, nos últimos 30 dias. 

Aponta-se que as exportações acumuladas de arroz somaram até o mês passado, 1,69 milhão do cereal em casca, registrando desta forma 54% a mais do que em outubro do ano passado. As importações permaneceram imutáveis no período, somando 875 mil toneladas, segundo a especialistas do setor.

Foto Reprodução Grupo Status

315 conteúdos

       
Sobre o autor
Jornalista Smart Money Leia, estude, se informe! Apenas novas atitudes geram novos resultados!
       Conteúdos

Quer saber mais sobre investimentos?



Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade




Conteúdos relacionados
AÇÕESNotíciasRenda Variável

Ibovespa continua recuperação nesta sexta (14), mas encerra semana com perdas

1 minuto/s de leitura
Nesta sexta-feira (14), o Ibovespa continuou sua recuperação após o desastroso pregão de quarta, subindo 0,97% e indo a casa dos 121…
Notícias

SmartTech: o efeito ‘Elon Musk’ nas criptomoedas; PIX Cobrança começa a funcionar; Amazon anuncia frete grátis para compras internacionais; saiba das novidades da BugHunt, SpaceX e Google

4 minuto/s de leitura
Elon Musk e a polêmica das criptomoedas Por algum tempo, Elon Musk se tornou quase que um embaixador das criptomoedas. Isso porque…
Notícias

GIRO CORPORATIVO: Petrobras reverte prejuízos e lucra R$ 1,16 bilhão; Magazine Luiza lucra 739,7% a mais no 1T21; Renner tem prejuízos no trimestre; saiba mais sobre Itaú, IRB, Cogna e Taesa

5 minuto/s de leitura
Petrobras (PETR3, PETR4) A Petrobras divulgou seus resultados operacionais referentes ao 1T21 nesta quinta-feira (13). A estatal registrou R$ 1,16 bilhão em…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao utiliza nossos serviços, você concarda com tal monitaramento.
Consulte a nossa Política de Privacidade

x
Aceito o uso de cookies